domingo, 5 de fevereiro de 2017

E se não houver amanhã?

                A única coisa que sei de verdade sobre este mundo é que o tampo passa rápido. Ele é como um cubo de gelo que vai derretendo e logo escapando por entre os dedos. Entretanto, quando finalmente os problemas são colocados à margem para darmos valor a vida e fazer o que queríamos fazer. “Puff”! Evaporou-se no espaço o seu tempo.
                Ás vezes, eu paro e me pergunto: “E se todo o meu “cubo de gelo” descongelar hoje? “Como vou abraçar o que era para ter abraçado ontem?” “O que farei com o perdão entalado no orgulho?” “E o Eu te amo?” “Quando terei outra chance de dizer a pessoa que me doou generosamente a sua luz?”
                E a resposta que obtenho é simplesmente: “Faça tudo agora!” Isso, de certa forma veio dar-me um “tapa na cara” e principalmente me mostrar que o dia de amanhã não está prometido para ninguém, para jovem ou velho hoje poderá ser a última oportunidade de segurar bem apertado a pessoa que te puxa para a felicidade. Não temos todo o tempo do mundo como os seres humanos se enganam, por isso, vamos aproveitar e realizar tudo o que der na “telha” enquanto Deus nos permite respirar.
Temos é que trabalhar menos e amar mais sabe? Eu sei que o tão cobiçado dinheiro é importante, mas eu também sei que quando você morre, no seu caixão não terá espaço algum para as riquezas deste mundo. No mais, é a nossa alma o único lugar que creio que a gente carregará o que nos fez melhores aqui na terra. Porém, se tu não valorizas os efêmeros momentos ao lado de quem ama, se não ver o que há de mais essencial numa gargalhada, num olhar quando fechar os olhos para sempre a sua alma vai embora completamente vazia.

Portanto, não deixe nada para depois. Não economize beijos. Não desperdice o seu “cubo de gelo” com coisas inúteis. Não engula a seco palavras. Nem se afogue em “talvez” ou em “tanto faz”. Transborde sentimentos sem se envergonhar. Sorria todas as vezes como se fosse a última. Ame perdidamente todos a sua volta. Viva la vida! E abrace, mas abrace com toda a sua força e de todo o seu coração os seus pais, amigos, filhos enquanto estão aqui, pois quando eles virarem pó infelizmente não se reconstruíram nem voltaram para nossos braços.

Um comentário: