sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Mais uma vitória


                Lembram-se daquela garotinha que se limitava aos seus problemas físicos? Pois então, ela não existe mais! Foi inevitável não tropeçar em pedras por onde andou. Foi difícil não cair. Impossível não cometer erros, mas ainda sim ela aprendeu a se defender dos monstros da vida real.
                A criança de bochecha fofa que se escondia debaixo das saias de sua mãe com medo do que os outros iriam pensar ou falar sobre sua cadeira de rodas, teve garra e perseverança pra ignorar todas caras feias que a olhavam com preconceito e desprezo.
                Nasci diferente. Sou cadeirante, tenho dificuldades na minha coordenação motora, por isso, não consigo escrever em um caderno, entretanto, uso meu notebook para fazer minhas atividades do colégio, que muitos podem ver como grande barreira, mas para mim se tornaram apenas pequenos detalhes, já que, de forma alguma isso não me impediu de concluir meu Ensino Fundamental.
                Comemorei minha formatura em dois grandes momentos: um banho especial e um jantar.
                No primeiro, eu não conseguia me conter de tanta felicidade, baguncei a beça, dei muitas gargalhadas e por fim me emocionei. Nesse dia não podia nem pensar em entrar na piscina, mas quem disse que meus amigos deram importância a isso. Eles não foram piedosos comigo, acabaram me jogando dentro da piscina de roupa e tudo, e eu como uma boa bagunceira, aproveitei. Rsrs... Um de meus amigos, Weverton, amigão do peito, toca violão e me conhece, sabe que sou besta para chorar, começou a cantar: Fronteiras & Barreiras, uma canção que compôs especialmente para mim. Chorei feito uma criança, depois fiquei com uma vontade de matar ele kkk, mas a sua sorte é que eu o amo muito! S2’
                O jantar também foi um momento muito gratificante, as pessoas ali presentes não conseguiram segurar suas emoções quando meu discurso estava sendo lido por minha amiga Clara. Eu me sentia extremamente feliz, realizada, mas ao mesmo tempo me batia uma tristeza imensa ao saber que aquela noite celebrava o fim de uma convivência tão boa, é estranho saber que eu não terei mais diariamente o contato que construí há quatro anos com toda aquela equipe gestora da escola, em saber que não terei mais tanta intimidade com a família que me ensinou a crescer. Mas tenho a consciência que isso foi e é fundamental para meu sucesso. Hoje começo a trilhar uma nova jornada: O Ensino Médio. Sei que não é fácil, mas já pensou se tudo que quisermos caísse de mão-beijada? Você iria se esquecer de lutar, de correr atrás por seus sonhos, enfim, sua vida não teria um pingo de graça.
                Os sorrisos, as oportunidades, os momentos de desabafos, a confiança, o companheirismo foram apenas uma pequena parte da história, um tempo e um sentido vivido só pelo meu saudoso 9˚ ano “A”, que irão ficar eternizado em minha memória para todo o sempre e que deixarão saudades. Tenho mil motivos para desistir, mas não quero, algumas vezes posso até me frustrar, mas não me importo, conheço um ditado que diz o seguinte: Quem está na chuva é para se molhar, e eu realmente vou me molhar. Tentar subir os degraus por mais alto que pareçam ser, querer me ver cada momento me superando, vencendo os meus limites. São coisas que devo e posso fazer. :))
                                                                     




























                                                                                                                                           Beijos seus lindos... ^^

Nenhum comentário:

Postar um comentário