sexta-feira, 22 de junho de 2012

Do sonho à realidade


O mundo não fora, não é e talvez jamais, será um devaneio. Ele não é perfeito.
Não sou desenho, quadro ou caricatura, mas nele sou barrada por mil dificuldades, e as enfrento com força e perseverança, sempre. Nos meus devaneios mais profundos me questiono: sou imperfeita? Perfeita? O que sou? Com certeza, sou imperfeita, aliás, todos nós somos.
No mundo de chapeuzinho vermelho o lobo é aprisionado e morto, mas há tantos lobos soltos por ai e nenhum caçador para aprisioná-lo.
Posso ter todos os meus defeitos, mas tenho amor ao próximo, diferentemente de inúmeras pessoas. A desigualdade da sociedade me revolta. A realidade que nos cerca é cruel, as pessoas não tem solidariedade para com o próximo. Por isso, olho o mundo a minha volta e tento mudar o pensamento das pessoas, tento mostrar a elas o que está nas entrelinhas da vida real, que lhes passam despercebido. Assim vão vivendo cada um o seu devaneio irreal.
Ao longo de nosso caminho, independente do devaneio, estamos todos propícios ao erro, em várias circunstâncias, mas independente do erro nunca é tarde para voltarmos atrás e reconhecermos nossa realidade. O mundo necessita de carinho, atenção, compaixão e paz, também, para com o próximo. Por tanto convido vocês a refletirem por mais simples ou pequena que seja nossas atitudes.
Meiguice!
É uma de minhas maiores qualidades. Mas quando abordo os assuntos "Desigualdade" e "Inclusão", essa menina meiga que existe, simplesmente desaparece, tenho que ser rígida, pra que eu possa ser notada no meio dessa sociedade tão incompreensível, para que só assim as pessoas venham a perceber que estou entre elas e que tenho sentimentos como qualquer outro ser, deixa de ser devaneio e vira realidade.
Não sou viajada, nem tão pouco, uma escolástica, que nem foram e são muitos. Mas também não sou tola para concordar com tudo o que a vida coloca diante de mim, busco ser uma garota informada, buscando compreender todos os meus direitos como cidadã, para não viver o sonho das possibilidades, mas acreditar que posso ir muito mais do que o próprio devaneio, já que estou em um mundo real. Não lamento o meu destino, quero ultrapassar os sonhos desta estrada dura.
Ser e estar, é o que quero nos dias de hoje, mesmo que a maioria da população não me der ouvidos, sempre estou opinando por melhorias que poderão fazer de nossa caminhada o mais acessível possível para que pessoas como eu, tenha uma vida não tão cheia de dificuldades, mas ao menos que possa ter um pouco de igualdade. Saindo assim do devaneio e vivendo a realidade de uma vida sem exclusão social.
Não se deixe ser derrotado por motivos tolos!
                                                                                                  Beijos Poéticos :*****