segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Boas festas! :)



Um momento doce e cheio de significado para as nossas vidas.
É tempo de repensar valores, de ponderar sobre a vida e tudo que a cerca.
É momento de deixar nascer essa criança pura, inocente e cheia de esperança que mora dentro de nossos corações.
É sempre tempo de contemplar aquele menino pobre, que nasceu numa manjedoura, para nos fazer entender que o ser humano vale por aquilo que é e faz, e nunca por aquilo que possui.
Noite cristã, onde a alegria invade nossos corações trazendo a paz e a harmonia.
O Natal é um dia festivo e espero que o seu olhar possa estar voltado para uma festa maior, a festa do nascimento de Cristo dentro de seu coração.
Que neste Natal você e sua família sintam mais forte ainda o significado da palavra amor, que traga raios de luz que iluminem o seu caminho e transformem o seu coração a cada dia, fazendo que você viva sempre com muita felicidade.
Também é tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos e retomar o caminho para uma vida cada vez mais feliz. Teremos outras 365 novas oportunidades de dizer à vida, que de fato queremos ser plenamente felizes.
Que queremos viver cada dia, cada hora e cada minuto em sua plenitude, como se fosse o último.
Que queremos renovação e buscaremos os grandes milagres da vida a cada instante.
Todo Ano Novo é hora de renascer, de florescer, de viver de novo.
Aproveite este ano que está chegando para realizar todos os seus sonhos!
Desejo um feliz natal e um próspero ano novo para todos! Beijos...

terça-feira, 25 de setembro de 2012

As precariedades



Numa tardezinha dessas, olhava a chuva cair vagarosamente, comecei a olhar pro nada e pensei: por que passamos por várias provações nesta vida? Por que a inclusão social está tão presente nos discursos verbalizados pela mídia e pelos políticos e não o vemos concretizados em nosso dia a dia? Por quê? Sabe! Em nossa caminhada tudo depende dessas perguntas que infelizmente nunca tem uma resposta concreta. Eu como cidadã me entristeço ao ver que o mundo onde vivo não atende minhas necessidades, ao ver que os governantes da minha cidade não se preocupam o quão é precário a situação de adaptações, que não atende sequer as necessidades de pessoas com limitações iguais as minhas.

Perdida por entre as sombras desse mundo severo e escuro, eu consigo observar a vida como ela é cheia de crueldades, tantos desrespeitos e violência que jamais iram deixar de existir contra seres indefesos e que nunca podem contar com seus direitos, porque nem sempre não são cumpridos, ou simplesmente serão esquecidos perante a sociedade por não colocarem em prática a lei.
O nosso país hoje implora por humanismo e compaixão, coisa que na realidade as pessoas nunca tiveram. Às vezes me revolto ao saber que existem por aí tantas crianças, jovens e mesmo adultos com alguma deficiência que nunca obterão o prazer de frequentar uma escola por motivo de um banheiro que não é acessível a eles, as salas de aula que são totalmente inadequadas pra comportar uma cadeira de rodas ou até mesmo a falta de uma interprete dentro desse ambiente, na questão de auxiliar os que não escutam.
Diante das infinitas durezas da vida eu sempre me questiono. Então por que pagamos os impostos? Será que são pros nossos nobres políticos nos roubarem ou para oferecer conforto as famílias existentes? Bom, acredito que esse dinheiro distribuído entre os estados visa impulsar uma melhoria na qualidade de vida da população, pra que agente possa desfrutar dos nossos direitos, mas isso infelizmente não acontece, por razão de estar fora de cogitação na mente dos queridos corruptos que se dizem trabalhar incansavelmente pelo povo.

Quem não deseja sair de casa, espairecer, dar uma volta pela a pracinha de seu bairro, ou centro num domingo na caída da noite? Ah! Tenho certeza que todos, inclusive nós!
Mas para os cadeirantes querer e ir, não são bem assim. É! Enfrentamos milhares de barreiras para colocar-nos nossos pezinhos e cadeiras de rodas fora de casa. Os obstáculos mais frequentes são: as ruas sequer pavimentadas; nas calçadas lugares altos sem rampas de acesso; alguns estabelecimentos públicos não oferecem serviços desse tipo e aí como resolver a situação? Única opção: Ficarmos aprisionados dentro de nossa própria residência, porque simplesmente as autoridades não estão incluindo as pessoas com deficiências nos projetos sociais da cidade ou país!
Meu objetivo com esta postagem não é criticar, nem julgar, mas tentar lembrar a sociedade e aos políticos da existência de uma parte considerável da população: as pessoas com deficiência que necessitam bastante de apoio além do emocional em prol delas. Pois ao meu vê esse assunto estar completamente esquecido, sem solução.
Então vendo esses lugares inacessíveis a mim, faço uma reivindicação em nome de todos os meus companheiros limitados por deficiências: Queremos um mundo cujo nossas acessibilidades sejam atendidas!


  Um forte abraço a todos! =D

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Os namoros


Às vezes, no silêncio da noite eu fico imaginando o que significa realmente amar. Será que é apenas um sentimento sem nenhuma importância ou é algo mais profundo que nos fazem embarcar no vazio de nossas almas buscando entender as belas coisas que acontecem ao nosso redor quando estamos apaixonados? Eis a questão!
Minha mente insiste em perder todos os sentidos, quando os meus pensamentos se deixam ser levados pela brisa que carrega os ventos. Sou refém dos meus sentimentos, deles não posso fugir. Pareço uma garota forte, mas bem lá no fundo sou tão frágil, tão necessitada de um ombro que eu possa desabafar tudo o que não tenho coragem de dizer ao meu próprio mundo!


Quem nunca sofreu por uma paixão? Claro, todos nós já sofremos. Eu não sou diferente, já me iludi com um amor não correspondido. Na madrugada desabafava em lágrimas minha dor, fiéis companheiras, onde nas quais posso confiar sem medo de ser julgada. O travesseiro é o meu único amigo que ouve meu coração quando ele já esta cansado de sofrer. É também o único que entende porque choro. Amo esse meu jeito meigo de menina, mas às vezes acho que essa minha qualidade consiste em me machucar fortemente e ai me sinto triste.
Nesse mundo dos loucos apaixonados, sou uma doce garota romântica a procura de minha prometida alma gêmea. E que ela possa me fazer feliz e a cada dia que passar me surpreenda com gestos fofos. Que faça de tudo pra dar certo, apesar dos tropeços que daremos juntos. Me aceite como eu sou. Na realidade não sonho com um amor perfeito, quero apenas que seja verdadeiro.
Hoje sei que Deus reservou uma pessoa maravilhosa para mim, na qual ainda estou por encontrar, afinal todos estamos aqui pra construir uma família, pra viver a plena felicidade ao lado de quem nos ama de verdade. E penso que um dia vou compartilhar com vocês esse momento mágico na minha vida!
Não deixe a felicidade em último plano, porque depois ela poderá virar as costas pra você e nunca mais voltar pro seus braços!

                                                                         Boa noite, meus amadinhos! :))

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Do sonho à realidade


O mundo não fora, não é e talvez jamais, será um devaneio. Ele não é perfeito.
Não sou desenho, quadro ou caricatura, mas nele sou barrada por mil dificuldades, e as enfrento com força e perseverança, sempre. Nos meus devaneios mais profundos me questiono: sou imperfeita? Perfeita? O que sou? Com certeza, sou imperfeita, aliás, todos nós somos.
No mundo de chapeuzinho vermelho o lobo é aprisionado e morto, mas há tantos lobos soltos por ai e nenhum caçador para aprisioná-lo.
Posso ter todos os meus defeitos, mas tenho amor ao próximo, diferentemente de inúmeras pessoas. A desigualdade da sociedade me revolta. A realidade que nos cerca é cruel, as pessoas não tem solidariedade para com o próximo. Por isso, olho o mundo a minha volta e tento mudar o pensamento das pessoas, tento mostrar a elas o que está nas entrelinhas da vida real, que lhes passam despercebido. Assim vão vivendo cada um o seu devaneio irreal.
Ao longo de nosso caminho, independente do devaneio, estamos todos propícios ao erro, em várias circunstâncias, mas independente do erro nunca é tarde para voltarmos atrás e reconhecermos nossa realidade. O mundo necessita de carinho, atenção, compaixão e paz, também, para com o próximo. Por tanto convido vocês a refletirem por mais simples ou pequena que seja nossas atitudes.
Meiguice!
É uma de minhas maiores qualidades. Mas quando abordo os assuntos "Desigualdade" e "Inclusão", essa menina meiga que existe, simplesmente desaparece, tenho que ser rígida, pra que eu possa ser notada no meio dessa sociedade tão incompreensível, para que só assim as pessoas venham a perceber que estou entre elas e que tenho sentimentos como qualquer outro ser, deixa de ser devaneio e vira realidade.
Não sou viajada, nem tão pouco, uma escolástica, que nem foram e são muitos. Mas também não sou tola para concordar com tudo o que a vida coloca diante de mim, busco ser uma garota informada, buscando compreender todos os meus direitos como cidadã, para não viver o sonho das possibilidades, mas acreditar que posso ir muito mais do que o próprio devaneio, já que estou em um mundo real. Não lamento o meu destino, quero ultrapassar os sonhos desta estrada dura.
Ser e estar, é o que quero nos dias de hoje, mesmo que a maioria da população não me der ouvidos, sempre estou opinando por melhorias que poderão fazer de nossa caminhada o mais acessível possível para que pessoas como eu, tenha uma vida não tão cheia de dificuldades, mas ao menos que possa ter um pouco de igualdade. Saindo assim do devaneio e vivendo a realidade de uma vida sem exclusão social.
Não se deixe ser derrotado por motivos tolos!
                                                                                                  Beijos Poéticos :*****

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A escola

Infelizmente chegamos à parte mais difícil, para as famílias que convive com uma pessoa especial em casa preparado pra entrar no mundo escolar.
Geralmente as escolas do planeta não querem abrir suas portas às pessoas com deficiência, na verdade eles pensam que ter um aluno (a) com dificuldade física, visual e etc., pode gerar um impacto na educação dos outros estudantes que não lidam com nenhuma limitação. Sei que até mesmo os educadores, juntamente com a direção do colégio incentivam essa desigualdade, pois colocam várias barreiras, dificuldades para esses seres, mais do que especial para Deus, não terem a oportunidade de estudar, fazer uma faculdade, subir na vida como os outros. Mas hoje fico muito feliz em vê que meus companheiros terão essa oportunidade única na vida de estudante, pois os governantes do mundo se comprometeram a criar a famosa Inclusão Social Das Pessoas Com Deficiências que no qual estabelece o direito de todas as pessoas com limitação a estarem integradas dentro da sociedade.
Agora chegou ao ponto que queria a nossa inteligência. Há quem não nos conhece nem sabe do que somos capazes, nós, pessoas especiais somos bastante inteligentes, independente de qualquer coisa. Modéstia parte, já estou concluindo o 9º ano e todos meus professores dizem que sou muito inteligente e dedicada aos meus estudos. Acredito que minha família nunca pensava que eu iria chegar a esta etapa da vida. Mas agora, com 17 anos, estou terminando o Ensino Fundamental, sei que essa não é a idade ideal para estar nesta serie, mas eu tenho um lema no qual é: Devagar se vai ao longe. E mesmo assim, sei que vou concluir meus estudos, igual aos outros.

Também não poderia esquecer-me de falar dos meus professores é lógico. Os meus professores antigos e atuais, foram eles que me ajudaram a dar o primeiro passo para possuir todo o conhecimento que tenho hoje em dia e só tenho a agradecer a todos eles que me acolheram em seus corações com muito carinho e amor. E não posso esquecer-me de minha professora Ana Gláucia Silva formada em Letra, pois ela é quem me está orientando a escrever essa literatura e só quero agradecer a ela por esse gesto tão lindo.
Obrigada Ana Gláucia Silva!
Mas quero destacar uma em especial, a professora Rubiluci Almeida, formada na área de Pedagogia e Jornalismo.
Por que escolhi Rubiluci Almeida para mostrar ao público como devem ser todos os professores do mundo em relação a seus alunos especiais ou a “alunos com limitações físicas, visuais e etc.”?
Bom, quando me encontrava iniciando o 7º ano, tive o privilégio de esbarrar-me com essa professora maravilhosa. Só para vocês terem uma ideia, eu nunca expliquei um trabalho de escola na vida, pra dizer a verdade odiava. Mas é por que também meus antigos professores nunca elaboraram trabalho a mim dessa forma. Esse ponto com ela mudou, passou o primeiro trabalho de explicação e com essa situação veio a minha preocupação em saber como iria ser para mim, aquela nova fase em minha trajetória.
Cheguei a dizer até que iria ficar sem pontuação na matéria, mas quando não tinha forças para continuar enfrentando essa barra ela veio com sua maneira contagiante, sua preocupação em fazer com que cada aluno independente de ser especial ou não compreendessem o que queria nos transmitir e com seu jeito meigo de tratar seus alunos, ela me deu coragem para seguir em frente o meu caminho. Foi a partir daí, que comecei a vê a vida por outro ângulo, a acreditar em meus grandes e pequenos sonhos, a perceber que nós, pessoas especiais, somos capazes de viver como os outros, de ter uma vida normal com família, amigos, namorados, filhos, etc. E ainda ao 9º ano, fico muito nervosa em dia de apresentação de trabalho, mas explico da maneira que aprendi com Rubiluci, pois ela é uma grande inspiração para mim e hoje tenho essa honra de ter ao meu lado essa mulher batalhadora que chuta todas as pedras de sua vida em busca do melhor.
Com ela, percebi que nada em nossas vidas acontece por acaso, tanto é que Deus enviou-a para me ajudar a caminhar nesse desconhecido e complicado pedaço de chão. Sempre temos que lutar por nossos sonhos e objetivos, embora achemos que sejam coisas impossíveis. Sei que de nada adianta, chorar por aquilo que não deu certo. Se caiu, levanta, sacode a poeira e bola pra frente! Aqui neste mundinho em que estou, sempre irei dizer e repetir que tenho muito orgulho dessa professora querida por todos ao seu redor, mais do que abençoada por nosso Senhor e simplesmente quero destacá-la por seu esforço, sua vontade de vencer os próprios desafios e por amar as pessoas pelo o que elas são. Para eu obter esse magnífico privilégio de ser uma das poucas pessoas a ter sua admiração já é uma vitória mais do que conquistada nesse mundo.
Quero deixar só uma frase na mente de cada ser humano especial que irá lê este texto, que será a seguinte: Digo aos alunos com alguma limitação que amem seus educadores da mesma forma, jeito que eu amo a professora Rubiluci Almeida, pois assim todos nós vamos sair ganhando em relação à escola.
E é por isso que espero que os educadores do planeta no qual estejam formando alunos especiais, se inspirem na professora Rubiluci, pois ela é um dos maiores exemplos para o universo, por ter toda essa dedicação a esses seus alunos normais e os mais do que especiais.
Obrigada Rubiluci Almeida, eu lhe amo mais que tudo minha linda! <3
Hoje só tenho a agradecer a Deus, por que nesse ponto da minha vida sou mais do que realizada.
E agora espero de verdade que todas as instituições de Educação estejam sempre com as portas abertas para receber esses alunos com limitações, pois nós, podemos ter todas as dificuldades da vida, mas mudamos o mundo com nossa inteligência.
Nos aceite no ambiente escolar!
                                                               Até a próxima postagem Blogueiros que segue-me!!!

sexta-feira, 27 de abril de 2012

As dificuldades de um cadeirante para se locomover aos lugares

Nós cadeirantes, encontramos diariamente várias dificuldades para nos locomover, por que os lugares não são adaptados para receber uma pessoa cadeirante.
Para nós, que somos portadores desta deficiência, é bastante constrangedor, não poder ir com os amigos ao cinema, restaurante, igreja ou até mesmo a escola, por causa de uma simples rampa que esses lugares públicos não possuem.
Bem, já sou adolescente, e, é claro que como todo jovem, sinto vontade de sair e me divertir com meus amigos e familiares, mas vivo em um estado que não adquiri uma boa infraestrutura, em relação às adaptações de lugares para receber pessoas com limitações. Por isso, alguns pontos turísticos de minha cidade não são tão visitados por pessoas como eu. Um simples passeio pelo o centro, já faz a diferença na minha rotina, porém, alguns locais, fazem com que eu fique totalmente impedida de frequentá-los.
Gente, vocês pensam que é fácil, eu ver as outras pessoas saírem para locais sem acesso a mim, que sou uma cadeirante?



Não mesmo... Em relação a esse ponto, me sinto totalmente excluída, me sinto sem opção para me divertir em minha própria cidade. E não é somente isto que coopera com nossa permanência em casa, existe também a nossa dependência de transportes públicos que é outro grande desafio que enfrentamos, pois a maioria deles não possuem adaptações para cadeirantes, quer dizer alguns até tem, mas os que têm, na maioria das vezes estão com algum problema como, por exemplo: os motoristas não sabem manusear o equipamento, a rampa do ônibus está com algum defeito ou até mesmo o próprio equipamento não funciona. É, nossa vida não é fácil! Além de passar por todas essas situações, ainda temos que esperar por horas e horas numa estação de ônibus, mas muitos condutores não param, porque como esse processo de um cadeirante entrar num veiculo é bastante demorado, eles optam por passar direto diante um passageiro com essas limitações. Outra coisa que eu não poderia esquecer, infelizmente sempre vejo os outros passageiros reclamando para o condutor que vai perder muito tempo se pararem para nós, que perdem muito tempo em sua rota, enfim, a sociedade é uma das grandes causadoras disso.



Só quero que a humanidade pense um pouquinho nesta questão a partir de hoje!
                                                               Até mais!!!

sábado, 14 de abril de 2012

Os meus amigos


Amigos! Ah, como defini-los em palavras?
Nos meus amigos: Busco força para continuar a batalha da minha simples vida, compartilho minhas tristezas e alegrias, posso contar com eles para o que der e vier, e, é claro que numa amizade não pode faltar uma briga, aborrecimento, intriga, mas assim é a vida não é construída somente de belos momentos. E como nada é diferente nesse universo a AMIZADE também é assim composto por instantes bons e ruins. Agradeço a Deus por ter colocado em minha vida pessoas tão maravilhosas como: Rubiluci Almeida, Maria Clara de Souza, Natália Santos, Douglas Miranda, Maria Eduarda Marques, Ana Gláucia Silva, Luana Melo...
    Ah, esses posso chamar de AMIGOS!

sexta-feira, 23 de março de 2012

A relação de pessoas com nenhum tipo de limitação e deficientes

Muitas pessoas normais ficam confusas quando encontram alguém que é "diferente". Uma pessoa que tem medo de dizer alguma coisa "errada" a uma pessoa deficiente, pode até evitar uma comunicação. Este mal pode ser evitado se pessoas deficientes e normais se virem e interagirem mais frequentemente no trabalho e na sociedade.
 As pessoas não procura obter informações a respeito de deficiências, tanto física ou mental, é a partir desta falta de conhecimentos que começa a gerar a desigualdade. Desculpa se com essas palavras, ofenderei a você, que costuma ignorar a estes anjos abençoados por Deus. Mas isso é uma grande falta de respeito com parte de nossa população. Irei aconselhar a todos que façam a diferença entre a humanidade, não ignore, deixe sempre o caminho aberto para uma nova amizade, seja com pessoas normais ou especiais.
Tenho certeza que ter um amigo (a) deficiente não é a pior coisa do mundo, obter um amigo assim, deverá ser bem melhor que ter um normal, você aprende a conviver com as diferenças.
Por isso, tenha um amigo especial e jamais ignore!!!

quinta-feira, 22 de março de 2012

Minhas origens


Aos meus dezesseis anos de idade, resolvi escrever este blog, que através dele levarei informações, curiosidades e exemplos de vidas sobre seres humanos especiais ou deficientes.
Eu, Rita de Cássia, nasci no estado do Acre, na cidade de Tarauacá, sou filha de José Ribamar da Silva Andrade e Maria da Conceição da Silva Albuquerque, mas, desde meus dois anos de idade, moro em Cruzeiro do Sul, com meus avôs paternos: Maria Dalva da Silva Andrade e Francisco Alves Andrade.
Quando vim ao mundo todos meus familiares pensavam que eu era apenas mais uma criança normal que chegava, mas não era bem assim, o nosso Senhor já tinha traçado o meu destino.
Por que digo isto? Calma vocês já irão entender!


Deus não me quis fazer uma pessoa igual às outras, nasci com uma deficiência que conhecemos como paralisia infantil. Bem, quem tem esta deficiência, encontra-se impossibilitado de andar e também perde alguns movimentos do corpo. Mas não é só por que convivo com esta deficiência que vou deixar de desfrutar das coisas boas da vida.
Bola pra frente!!!

segunda-feira, 19 de março de 2012

Meus pensamentos sobre a vida


No universo existem seres humanos diferentes uns dos outros, pessoas com nenhuma deficiência reclamam constantemente da vida que Deus lhes deu. Mas, não fazem à mínima ideia de que existem crianças, jovens, adultos e idosos que enfrentam o mundo todos os dias sem enxergar, sem poder mover-se a algum lugar sozinho, mesmo assim dão-nos um exemplo de perseverança e nunca reclamam da vida que tem.
Quantas vezes você avistou uma pessoa cadeirante, deficiente auditiva, deficiente visual, etc? Aposto que muitas e muitas vezes.
Você ficou bastante impressionado com o nosso jeito de viver entre a sociedade, a forma que encontramos para vencermos os obstáculos que temos nas ruas, departamentos públicos e em casa, não é!
Então, vocês já perceberam de que este blog ensinará um pouco sobre a vida de pessoas com alguma deficiência. Irei começar pela minha própria história, e espero sinceramente que a população de todo planeta, identifique-se com a literatura que vou utilizar nessas singelas linhas.